Dinâmica atmosférica deposicional

Baseado nas curvas de acumulação de neve (curva em vermelho) e direção do vento (curva em preto), advecções de massas de ar que chegam ao Criosfera 1 tem predominantemente 2 origens: (a) o platô Antártico, que influencia fortemente o “drift” de neve na região; (b) massas de ar provenientes do Mar de Weddell e Droning Maund Land que transportam calor e umidade para a localidade do Criosfera 1. Pelas curvas apresentadas abaixo, pode-se ver claramente que mudanças na direção dos ventos no sentido Sul-Leste trazem mais precipitações para a região de estudo. Isto confere a localidade do Criosfera 1 como significativa na monitoração de eventos que ocorrem sobre o Oceano Austral, na variabilidade do gelo marinho e no aporte de micropartículas de diversas origens que chegam as áreas subantártica, as quais podem ser transportadas ao Centro da Antártica através da permanente atividade ciclônica circumpolar. (Heitor Evangelista)

CCurvas de calibração isotópicas obtidas a partir de amostras no Criosfera 1